Plantio de 100 árvores nativas da Mata Atlântica nas margens do reservatório Billings tem participação da EMAE

Parte da 20ª Semana do Meio Ambiente da Empresa, ação contou com o apoio da comunidade local

 

Nesta quarta-feira, dia 2, a EMAE participou do plantio de 100 árvores nativas da Mata Atlântica na Avenida das Garoupas, Jardim Apurá, nas proximidades do reservatório Billings, em áreas da Empresa. As espécies, doadas pela própria EMAE, incluem a Sapuva, Aroeira Pimenteira, Mutamba, Angico Branco, Sangra d’água, Algodoeira, Ingá do Brejo, Jacaranda-bico-de-pato, entre outras. Mais 100 mudas foram doadas para plantio no Parque dos Búfalos, fomentando a vegetação local. A ação faz parte da 20ª Semana do Meio Ambiente da EMAE.

Segundo o coordenador de Meio Ambiente da EMAE, Carlos Eduardo Rocha, essas ações são possíveis porque têm o apoio da comunidade do entorno. “Nós não estaremos aqui a maior parte do tempo, por isso, a ajuda das pessoas que moram aqui é fundamental para que esse trabalho permaneça. São elas que vão cuidar do que foi plantado aqui hoje”, diz.

Para Eduardo, a situação do meio ambiente está tão crítica que é preciso tentar reverter esse quadro agora. Somente assim, as futuras gerações serão impactadas e seguirão o mesmo modelo. “A educação se faz mais pelo exemplo do que pela fala. Toda pequena ação tem uma grande repercussão. É de uma gota que se faz um oceano”, destaca.

A atividade contou a colaboração da Oekoscientia (OËKOBR), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que tem como objetivo promover a sustentabilidade pela conservação do meio ambiente e da gestão de resíduos.

O diretor da OËKOBR, Wesley Silvestre Rosa, explica que o plantio de árvores é essencial em áreas de manancial, que são as primeiras a sofrerem em momentos de crise, principalmente agora, durante a pandemia. “O plantio ajuda a inibir invasões e ocupações irregulares. Por isso, é importantíssimo que a EMAE esteja nesta parceria com a comunidade, que é quem vive aqui próximo ao reservatório... atividades como essa gera conhecimento, agrega na vida de crianças e jovens, que verão essas árvores crescendo. Quem não conhece não preserva”, avalia o ativista.

O dono da empresa Wilson Mudas, contratada pela EMAE para dar suporte ao trabalho, Wilson Oliveira, enfatiza o papel dos empreendimentos na questão do compromisso ambiental. “As empresas têm o papel de realizar esse trabalho de educação ambiental, envolvendo os moradores e promovendo a conscientização”.

Comerciantes da região do Jardim Apurá também estiveram presentes no encontro. Alexandre Gomes, do Pet Gomes, afirma que é necessário que projetos assim sejam rotineiros, “já que o local é carente de arborização”. “Quanto mais pessoas para ajudar, melhor”, finaliza.

 

2 de junho de 2021