Após 94 anos, ponte rolante de Rasgão é modernizada

Equipamento recebeu novo carrinho e operação via controle remoto

 

Após 94 anos em operação na Usina de Rasgão, a ponte rolante de 62,5 toneladas foi modernizada com a troca do carrinho utilizado para movimentação de cargas nos geradores 1 e 2 e substituição dos painéis elétricos. Instalada em 1925, a ponte rolante já estava obsoleta e sem peças de reposição.

O novo carrinho foi construído com dispositivos mais modernos e, agora, a operação é realizada por controle remoto via rádio, no piso dos geradores, o que aumenta a segurança e facilita a visualização do objeto içado. Com o antigo equipamento, o processo era mais difícil. “O operador tinha de subir em uma escada tipo marinheiro e realizar os comandos de dentro de uma cabine instalada na ponte”, explica Bruno Carvalho, gestor técnico do contrato.

Para quem não sabe, a ponte rolante movimenta cargas nas áreas de manutenção das usinas hidroelétricas. A de Rasgão tem capacidade para 62,50 toneladas. Em Henry Borden, por exemplo, as maiores têm capacidade para 100 toneladas. “Esses equipamentos são utilizados na montagem e desmontagem dos geradores, na substituição dos rotores de turbina e no apoio da manutenção em geral”, detalha Bruno.

A parte elétrica também era um ponto bastante crítico, face a obsolescência dos equipamentos, que apresentavam baixa confiabilidade e constantes falhas no sistema. Com a modernização, todos os painéis elétricos foram substituídos, permitindo a mudança de tecnologia e inclusão de novas funcionalidades.

As pontes rolantes são constituídas basicamente de duas peças: as vigas principais que fazem o movimento de translação da ponte sobre trilhos férreos e que suportam toda a carga; e o carro, onde estão instalados os cabos de aço, ganchos e componentes elétricos e eletrônicos para controle e segurança no içamento dos componentes.

O investimento realizado na modernização da ponte foi de R$ 1 milhão e o prazo contratual de oito meses.