Biólogo da USP realiza expedição no Reservatório Billings à procura de aves

Visita foi acompanhada por equipe do departamento de Meio Ambiente da EMAE, que sempre apoia iniciativas de preservação do meio ambiente

 

O biólogo e ornitólogo Fabio Schunck, doutorando do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, realizou uma expedição no Reservatório Billings para catalogar as aves aquáticas do local. O departamento de Meio Ambiente da EMAE, que sempre apoia iniciativas desse tipo, disponibilizou um barco e acompanhou a inspeção.

Schunck conta que o objetivo da expedição foi procurar uma espécie chamada Mergulhão-grande (Podicephorus major), que ocorre no sul do Brasil e, no inverno, migra para São Paulo. A espécie, que colonizou o reservatório Guarapiranga nos últimos 10 anos, atualmente vem colonizando a Billings. Em apenas quatro horas de observações, o especialista registrou 60 espécies de aves, incluindo o Mergulhão-grande. “Encontramos 24 mergulhões, vários deles jovens, o que indica que já estão se reproduzindo por lá. Agora, eu pretendo monitorá-los, pois sua presença vai nos trazer muitas informações importantes sobre a qualidade dos ambientes e possíveis impactos ambientais”.

O pesquisador explica que a Billings tem um alto potencial para ocorrência de aves, pois é uma represa ampla e com muitas áreas naturais. “Registramos um número alto de aves, indicando que o local é muito importante para estes animais. Entretanto, observamos também que a ocupação urbana nas margens da represa é uma grande ameaça a esta diversidade, pois quanto menos ambiente natural, menos aves”.

A listagem das aves obtidas durante a visita foi disponibilizada em uma plataforma online mundial sobre listas de aves, chamada e-bird, no link a seguir https://ebird.org/view/checklist/S56659631. “Além de ficar disponíveis para qualquer pessoa, essas listas são muito úteis para subsidiar ações de conservação, nas mais variadas áreas. Eu também coloquei estes dados em um banco de dados que eu tenho sobre as aves da região, para futuramente utilizar nas minhas pesquisas”, detalha Schunck.

O trabalho de Schunck, que estuda as aves das represas Guarapiranga e Billings desde 2001, é conhecer quais espécies ainda ocorrem nessas localidades, quantas são ameaçadas de extinção, quais são migratórias e se estes ambientes ainda possuem condições de abrigá-las, fornecendo alimento, ambiente e várias outras condições, além de investigar quais ameaças existem na região que possam prejudicá-las.